Setenta vezes sete = infinito

9 03 2010

Fiz a conta. Deu 490. No contexto sócioeducacional, tiraríamos nota 100 no teste de contas, como diz a minha filha. “ – Mãe, estou estudando para o teste de contas”. Assenti com respeito ao momento de ansiedade que ela vivia. Penso: precisamos encaixar esses preceitos em valores humanos, conseqüentemente em valores científicos. Antes da cientificidade passamos pelo senso comum.

Mas não é nada disso que aludo aqui, neste humilde texto. Sugeriu-me a vontade dessa escrita no diálogo de Pedro com Jesus:

– Senhor, quantas vezes devo perdoar se meu irmão pecar contra mim? Até 7 vezes:

– Digo-te não até sete vezes, mas setenta vezes sete. (Mt 18, 21-35)

Nossa. Perdoar na primeira vez é a coisa mais difícil do mundo. Quando somos magoados, criticados, postos a prova, sofremos com adversidade de idéias, perdoar é difícil. O diabo tenta-nos de todas as formas. Queremos esquecer a dor, mas ele lembra. Ele está aqui para isso. Para mostrar as misérias  que temos em nosso mundo interno.

Pedro quando pergunta, sinto em suas palavras um contexto de indignação. Como se perguntasse: Mas se ele errou eu devo perdoar mesmo? Jesus consente. Quantas vezes ele errar, todas deverão ser perdoadas.

O primeiro passo para o perdão é difícil. Devemos nos sobrepor a muita coisa…orgulho, vaidade. A caminha juntos, na Igreja de Deus, é uma grande dificuldade neste aspecto. Precisamos abrir mão de pontos de vista rigorosos e entregar-se ao perdão para dar mão ao próximo e sermos verdadeiros missionários de Jesus neste mundo.

Conhecer o valor do perdão incide sobre os passos que damos na missão, sim. O número 7 no contexto bíblico é um número simbólico e bem representativo. O 7 é o número da perfeição. Entre o ser perdão e o ser perfeito a caminhada é árdua, pois não será preciso perdoar um, duas, três, quatro…Enfim, não iremos perdoar em nossa vida por cotas limitadas. Devemos perdoar SEMPRE para caminharmos SEMPRE com Jesus. Setenta vezes sete tem sim um número ainda desconhecido e além das possibilidades humanas. INFINITAMENTE perdoar. Por fora e por dentro. Da boca para fora muitas vezes perdoamos. Da boca para dentro nunca seremos capazes de perdoar infinitamente, pois perdão infinito somente Deus nos concede.

Paz e bem, hoje e por todo o sempre.

Anúncios

Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: